Pesquisa de Conteúdo
Capital Nacional do Cooperativismo

Nova Petrópolis/RS é a Capital Nacional do Cooperativismo do Brasil.

O título é um reconhecimento pelo fato de ser de Nova Petrópolis a mais antiga Cooperativa de Crédito da América Latina, a Sicredi Pioneira RS, que foi fundada em 28/12/1902.

Archive for the ‘Sicredi Pioneira RS’ Category

Márcio Port é eleito presidente da Sicredi Pioneira RS

Marcio Port e Mario Jose Konzen, Presidente e Vice-Presidente da Sicredi Pioneira RS

15/03/2011 – Assembleia de Delegados confirmou a aprovação de todos os itens da Ordem do Dia, ocorrida nesta segunda-feira

A partir desta segunda-feira, dia 14, uma nova e histórica fase começou para a Sicredi Pioneira RS. Através da 1ª Assembleia Geral Ordinária de Delegados, ocorrida no Centro de Eventos de Nova Petrópolis, foram eleitos Márcio Port como novo presidente da Sicredi Pioneira RS, Mário José Konzen como vice e também dez conselheiros titulares e dez suplentes, compondo o Conselho de Administração da cooperativa, gestão 2011-2015. A aprovação da chapa pelos associados foi unânime.

A Assembleia reuniu, de forma inédita, 139 coordenadores dos núcleos, escolhidos nas 26 Assembleias de Núcleos para representar os 62.626 associados. Compuseram a mesa oficial da Assembleia: Gerson Seefeld, vice-presidente da Central Sicredi Sul; Mário José Konzen e Werno Blásio Neumann, presidente e vice da Sicredi Pioneira RS; José Mário Hansen, conselheiro de administração; Reni Luiz Stahl, coordenador do Conselho Fiscal; Solon Stapassola Stahl, superintendente, e Eduardo Spier, gerente administrativo-financeiro.

Além do novo conselho de administração, foram aprovadas as seguintes pautas: a destinação das sobras, honorários da diretoria, cédulas de presença do conselho e a prestação de contas do ano de 2010, compreendendo o relatório da gestão, balanço, demonstrativo de sobras, parecer do Conselho Fiscal e parecer da auditoria.

Durante a Assembléia ocorreu também a homenagem ao Sr. Werno Blásio Neumann, atual Vice-Presidente da Sicredi Pioneira RS, e que dedicou os últimos 53 anos ao cooperativismo de crédito.

A nova diretoria da Sicredi Pioneira RS tomará posse após a homologação do Banco Central do Brasil, que deverá ocorrer entre abril e maio.

METAS DO CONSELHO

A primeira meta prevista pelo conselho será colocar em prática a política de governança de acordo com a nova resolução do Banco Central do Brasil, que é separar bem as funções da superintendência e do presidente, além de colocar no papel todas as políticas da cooperativa e seus respectivos porquês. A nova diretoria também formará comitês não-operacionais, compostos pelos conselheiros efetivos e suplentas, que estudarão assuntos relativos à estratégia, educação cooperativa, gestão de pessoas, governança e riscos; para que ocorra maior envolvimento do conselho na estratégia da cooperativa.

Para o presidente Márcio Port, “com trabalho em equipe, união de esforços e baseado nos princípios do cooperativismo, o Conselho de Administração está preparado para, junto com as associados, buscar o crescimento da cooperativa e dos próprios associados”.

Confira os novos nomes que compõem a diretoria junto a Márcio Port e Mário José Konzen:

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO TITULAR
Alceu Dalle Mole (Caxias do Sul)
Evandro Carlos Knob (Santa Maria do Herval)
Gilberto Luis Muller (Estância Velha)
João Carlos Federhen (Picada Café)
Jorge Germano Schaefer (Nova Petrópolis)
Jorge Maldaner (Gramado)
José Mário Hansen (Nova Petrópolis)
Sirlei Bertollo (Caxias do Sul)
Vera Regina Schmitz (São Leopoldo)
Vitor Affonso Grings (Nova Petrópolis)

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUPLENTE
Alcides Perini (Caxias do Sul)
Cátia Muller (Vale Real)
Elton Roberto Weber (Nova Petrópolis)
Evandro Kunz (Presidente Lucena)
Heloiza Helena Lopes (Feliz)
Maicon Motter (Alto Feliz)
Moacir Bueno da Silva (Caxias do Sul)
Olavo Augusto Kipper (Novo Hamburgo)
Patrícia Spohr (Ivoti)
Werno Blásio Neumann (Nova Petrópolis)

 

Novo Conselho de Administração da Sicredi Pioneira RS eleito na Assembléia Geral Ordinária

Fonte: Sicredi Pioneira RS

Solon Stahl assume a Superintendência da Sicredi Pioneira RS

Solon Stahl e Márcio Port – Superintendente e Presidente da Sicredi Pioneira RS

Com a eleição de Márcio Port, ex-superintendente da Sicredi Pioneira RS, à Presidência da Sicredi Pioneira RS, o Conselho de Administração da cooperativa nomeou para a função o colaborador Solon Stapassola Stahl, de 40 anos. O novo superintendente, que trabalha há 11 anos na cooperativa e cuidará da gestão executiva da Pioneira.

Solon é graduado em Administração de Empresas pela Feevale, pós-graduado em Gestão de Cooperativas pela Univates e está cursando MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Antes da nova função, atuou por cinco anos como gerente da unidade de atendimento de Novo Hamburgo, passando ao cargo de assessor de desenvolvimento por dois anos e, após, como gerente regional de desenvolvimento por três anos.

Entre as metas para a superintendência, Solon aponta a continuidade do trabalho feito até hoje e, com o tempo, aperfeiçoar o sistema interno de gestão, visando ampliar a velocidade dos negócios, para que se possa atender melhor aos associados em suas demandas. “Desta forma estaremos melhorando nossa performance, resultando, ao final, maiores sobras para nossos associados, que são os donos do negócio”, destaca.

Para Solon, “estar à frente da superintendência da Pioneira é um desafio muito grande, pois significa liderar a maior cooperativa do Sistema Sicredi e a 5ª maior do país”.

Fonte: Sicredi Pioneira RS

 

Sicredi Pioneira RS disponibiliza crédito facilitado para restituição do Imposto de Renda

Na Sicredi Pioneira RS, o associado conta com a melhor solução para amansar o “Leão” do Imposto de Renda. Basta indicar sua conta na declaração do imposto para receber a restituição; o número do banco é 748 e a agência é 0101. Assim, o associado aproveita a linha de crédito especial, podendo antecipar até 100% do valor.

Entre as vantagens está a taxa de juros atrativa, sem necessidade de avalista; vencimento único, junto com a data de restituição do Imposto de Renda; antecipação de até 100% do valor da restituição e empréstimos sem comprometer a renda pessoal.

Para mais informações, visite sua unidade de atendimento da Sicredi Pioneira RS ou fale com seu contador.

Entrevista da Revista Unimed com Márcio Port, candidato à Presidência da Sicredi Pioneira RS

Márcio Port, candidato à Presidente da Sicredi Pioneira RS

Após exercer a Superintendência Regional da Sicredi Pioneira RS, Márcio Port, em março próximo, será eleito presidente da instituição que, como uma das 119 cooperativas de crédito do Sistema Sicredi, administra recursos na ordem de R$ 700 milhões e se constitui a mais antiga da América Latina e a 5ª maior dentre as 1.370 cooperativas existentes no Brasil.

Na cooperativa desde 1992, onde implantou as principais ferramentas de gestão – como CRM, Semáforo, Planejamento e Mapa Estratégicos –, Port é bacharel em administração de empresas e pós-graduado em administração de serviços e gestão de cooperativas. Entre outras atividades, atuou como docente da Faculdade Cenecista de Nova Petrópolis, na disciplina de Gestão de Pessoas e Gestão de Talentos; criou e mantém o site www.cooperativismodecredito.com.br.

Sendo a mais antiga cooperativa de crédito em atividade no Brasil, como vê a evolução do cooperativismo em nosso País?

O Brasil conta atualmente com uma rede de atendimento formada por 130 bancos e por 1.370 cooperativas de crédito. As cooperativas de crédito oferecem a seus associados produtos muito semelhantes aos oferecidos pelos bancos com a vantagem de dividirem as sobras (lucro) entre os “clientes” que a geraram (nas cooperativas, o cliente é também dono, chamado de associado).

Esta diversidade de produtos faz com que, quando somadas, as 1.370 cooperativas ocupem a 7ª posição no ranking do Sistema Financeiro quando analisado o volume de depósitos bancários. Ficamos atrás apenas dos seis maiores bancos brasileiros (Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, CEF, Santander, HSBC). O cooperativismo de crédito administra aproximadamente 2,7% dos depósitos do País. Há 10 anos, esta participação de mercado era de apenas 0,98% e ocupávamos a 17ª posição entre os bancos.

Esse avanço foi maior ou menor do que o esperado? Quais os motivos que fundamentam a resposta?

A evolução observada no período foi muito expressiva. Crescemos nossos depósitos 1.124% em 10 anos, sendo que os bancos também cresceram, mas em percentual menor (339%). Neste período houve, entre os bancos, muitas fusões e incorporações, tornando o mercado extremamente competitivo e concentrado. Vários pequenos bancos foram incorporados pelos maiores bancos do País. Apesar deste cenário, conseguimos avançar e hoje somos reconhecidos como instituições financeiras sólidas e confiáveis. Estamos em um momento de estruturação da tecnologia que nos acompanhará pelos próximos anos e com isto esperamos, em breve, alcançar a 6ª posição no volume de depósitos.

É possível comparar com a evolução e a situação atual de outros países? Quais?

Em nível mundial existem países que possuem grande expressão no Cooperativismo de Crédito. Na Europa, onde tudo começou, temos países como a França, Holanda e Alemanha, onde os Bancos Cooperativos administram 60%, 41% e 25%, respectivamente. Em outros países como EUA e Canadá, a participação é de 10%.

O Brasil está hoje abaixo da média mundial, mas vem chamando a atenção pelo crescimento sólido e estruturado. Das 25 mil agências bancárias brasileiras, 16% são de cooperativas de crédito, sendo que em muitos municípios do País, as cooperativas são a principal instituição financeira. Da mesma forma que na Europa, o Cooperativismo de Crédito do Brasil é forte nos pequenos e médios municípios, ainda não tendo expressão nos grandes centros urbanos.

Como surgiu a cooperativa e quais os objetivos de sua criação?

Nossa cooperativa, a Sicredi Pioneira RS, foi fundada no ano de 1902, e é a mais antiga cooperativa de crédito da América Latina. Somos uma das 119 cooperativas do Sistema Sicredi, sendo atualmente a maior delas. A fundação da cooperativa é fruto da insistência do padre jesuíta Theodor Amstad, que, percebendo as dificuldades que assolavam a população de nossa região, iniciou um movimento que culminou com a fundação de várias entidades, tais como cooperativas, asilos, hospitais, escolas, sindicatos e outros. Pode-se dizer que o crescimento da região teve grande influência das entidades constituídas pelo Padre Amstad.

Além da Sicredi Pioneira RS, com sede em Nova Petrópolis/RS, o padre criou outras 35 cooperativas de crédito no Rio Grande do Sul. Um dos principais motivos de Nova Petrópolis ter recebido o título de “Capital Nacional do Cooperativismo” é justamente o fato de sediar a primeira cooperativa de crédito brasileira.

Como esses objetivos evoluíram ao longo desses mais de 100 anos?

Quando da constituição da cooperativa, em 1902, não haviam bancos na região. A população tinha de ir a Porto Alegre para encontrar algum banco. A finalidade específica da cooperativa naquela época era a de receber depósitos e conceder empréstimos. Hoje, os bancos estão presentes em praticamente todos os municípios, motivo pelo qual as cooperativas de crédito se reposicionaram e oferecem a seus associados todos os serviços bancários necessários para uma pessoa física ou empresa.

O grande diferencial da Sicredi Pioneira RS é “ser cooperativa”, portanto, mais próxima aos associados, que nos bancos são apenas clientes, e que nas cooperativas são os donos do negócio. São os associados que em assembleia decidem o futuro da cooperativa e que no final do ano recebem a devolução de grande parte das sobras (lucro).

Quanto à forma de gestão, houve mudanças?

O mercado financeiro brasileiro é muito dinâmico: novos produtos são lançados a todo momento, os spreads das operações vêm caindo e a tecnologia é a principal ferramenta para melhoria de produtividade. Neste cenário temos de estar permanentemente atualizados e atentos aos movimentos do mercado. Nossos colaboradores (funcionários) precisam estar preparados para oferecer aos associados um portfólio de mais de 100 produtos, demandando formação e atualização constantes.

Diria que o principal desafio é manter os colaboradores motivados, treinados e engajados. São eles que constroem a história da cooperativa.

Como vê a intercooperação? Como a Cooperativa de Crédito Sicredi Pioneira RS participa desse movimento?

A intercooperação é um grande desafio para o setor, e devemos sempre buscar aumentar o relacionamento e os negócios com outras cooperativas. Em Nova Petrópolis, estamos estruturando uma entidade intitulada “Casa Cooperativa”, com o objetivo de congregar todas as cooperativas da região, unificar ações e definir estratégias de avanço para o setor. Para trabalharmos a intercooperação, precisamos, primeiramente, aproximar as lideranças das mais diversas cooperativas. Por isso, apoiamos e nos envolvemos diretamente com a “Casa Cooperativa de Nova Petrópolis”.

Quais as principais colaborações que a Cooperativa de Crédito Sicredi Pioneira RS pode dar a outras cooperativas?

Recebemos mensalmente diversas visitas de cooperativas de crédito do Brasil e também do exterior. Muitos são os relatos de visitantes que dizem que, conhecendo a história iniciada pelo Padre Amstad, conseguem se motivar e reenergizar suas equipes para continuar com a expansão do cooperativismo.

Quais os planos futuros da cooperativa?

Estamos em uma região (Serra Gaúcha, Vale dos Sinos e Vale do Caí) que congrega 1,2 milhão de habitantes em 18 municípios. Nesta região, temos 64 mil associados distribuídos em 31 Unidades de Atendimento (agências). Apesar de sermos a principal instituição financeira em muitos dos 18 municípios, em outros – como Caxias do Sul, Novo Hamburgo e São Leopoldo, que juntos totalizam 900 mil habitantes – ainda somos muito pequenos. Para os próximos anos, buscaremos ampliar o quadro de associados para 150 mil pessoas, inaugurando mais 15 novas Unidades de Atendimento.

Quem pode ser associado de uma cooperativa de crédito?

A legislação brasileira permite a existência de vários tipos de cooperativas de crédito, sendo o público-alvo o principal diferencial. As mais comuns de serem encontradas são:

a) cooperativas de livre admissão, que permitem a associação de qualquer pessoa física ou jurídica;
b) cooperativas de crédito rural, que trabalham essencialmente com produtores rurais;
c) cooperativas de micro e pequenos empresários, que atuam essencialmente com proprietários de empresas e também com as empresas de seus sócios;
d) cooperativas de crédito mútuo, que normalmente atuam dentro de empresas, entidades e associações, associando somente as pessoas ligadas a estas.

Para associar-se a uma cooperativa de crédito é necessário primeiramente localizar uma que atue próximo de você, somente efetuando a associação após essa certeza. O valor do capital social a ser integralizado na associação varia de cooperativa para cooperativa, mas normalmente nas de livre admissão e nas de crédito rural o valor é próximo de R$ 100,00.

Sendo uma instituição financeira, que organismo fiscaliza as Cooperativas de Crédito?

A legislação em vigor para as Cooperativas de Crédito é praticamente a mesma que a existente para os bancos. O Banco Central do Brasil é a entidade que fiscaliza tanto os bancos como as cooperativas de crédito. Uma cooperativa de crédito não pode ser confundida com uma financeira ou uma factoring.

O processo de associação a uma cooperativa de crédito é muito similar à abertura de uma conta em um banco. As cooperativas de crédito como a nossa são tão ou mais criteriosas e cautelosas do que os bancos. Este é o ponto-chave para ter adquirido a credibilidade e a confiança dos associados.

De que forma os interessados podem obter mais informações sobre as cooperativas de crédito?

A melhor forma de conhecer melhor o trabalho realizado pelas cooperativas de crédito é pelo site www.cooperativismodecredito.com.br, onde estão reunidas informações do Brasil e também do mundo.

Fonte: http://www.peppercom.com.br/unimed/encontros/home/index.php

Sicredi Pioneira RS apresenta o 3º maior resultado do Sistema Sicredi

A Sicredi Pioneira RS apresentou em 2010 um resultado líquido de R$ 15,1 milhões, valor este que representa 5% do total das sobras do Sistema Sicredi (veja o link).

Com este montante a cooperativa apresentou a 3ª colocação no volume de sobras do Sistema Sicredi, composto por 119 cooperativas de crédito. As cooperativas do Sicredi que apresentaram maiores sobras em 2010 foram:

1) Sicredi União RS (sede Cerro Largo-RS): R$ 15,603 milhões 
2) Sicredi Região dos Vales RS (sede Encantado-RS): R$ 15,561 milhões
3) Sicredi Pioneira RS (sede Nova Petrópolis – RS): R$ 15,129 milhões
4) Sicredi Cataratas do Iguaçú PR (sede Medianeira-PR): R$ 13,563 milhões
5) Sicredi Mutum MT (sede Nova Mutum-MT): R$ 13,108 milhões
6) Sicredi Ouro Verde MT (sede Lucas do Rio Verde-MT): R$ 12,278 milhões
7) Sicredi Celeiro MT (sede Sorriso-MT): R$ 11,911 milhões
8) Sicredi Planalto RS (sede Cruz Alta-RS): R$ 11,173 milhões
9 ) Sicredi Centro Serra RS (sede Candelária-RS): R$ 9,644 milhões
10) Sicredi Noroeste RS (sede Três de Maio-RS) R$ 9,149 milhões

As 10 cooperativas acima respondem por 34% do total das sobras geradas pelo Sistema Sicredi em 2010.

Fonte: Sicredi Pioneira RS

Mapa terrestre feito pelo Padre Amstad: resgate histórico de Nova Petrópolis-RS

O Padre suíço Theodor Amstad, além de atender as comunidades alemãs e italianas nas redondezas do município de Nova Petrópolis, foi o fundador da 1ª Cooperativa de Crédito da América Latina, a Sicredi Pioneira RS, de outras 35 cooperativas de crédito no Rio Grande do Sul e Santa Catarina e fundou ainda o 1º Sindicato Agrícola do Brasil.

Além de todos estes feitos históricos o Padre tinha ainda entre suas habilidades a elaboração de mapas da região em que atuava. O mapa abaixo (clique sobre ele para ampliar) foi feito entre os anos de 1925 e 1938 e apresenta a região que hoje forma o município de Nova Petrópolis.

Mapa da região de Nova Petrópolis feito pelo Padre Theodor Amstad entre os anos de 1925 e 1938

Sicredi Pioneira RS divulga resultados de 2010

A Sicredi Pioneira RS, a 5ª maior Cooperativa de Crédito do Brasil dentre as 1.400 existentes, divulgou as primeiras informações relativas ao seu desempenho no ano de 2010.

A Cooperativa de Crédito contava ao final de 2010 com 440 colaboradores e 62.626 associados, contando com 31 Unidades de Atendimento na região abrangida pela Serra Gaúcha, Vale dos Sinos e Vale do Caí.

Total de Recursos Administrados: R$ 710 milhões (crescimento de 45% em 2010)
Total do Patrimônio Líquido: R$ 115 milhões (+ 33%)
Sobras Acumuladas em 2010: R$ 15,1 milhões (+ 20%)
Total da Carteira de Crédito: R$ 395 milhões (+ 54% em 2010)

Do total das sobras de 2010 (R$ 15,1 milhões), um total de R$ 6,3 milhões já foram pagos aos associados em dez/2010 a título de Juros ao Capital Social, tendo o mesmo sido remunerado em 9%. Das sobras remanescentes 45% foram direcionadas ao Fundo de Reserva, 5% para o FATES e os 50% restantes, R$ 4,423 milhões, serão levados à Assembléia Geral com a proposta de destinação aos associados na proporção da rentabilidade gerada por cada um deles.

Abaixo temos o gráfico das Sobras Anuais da Sicredi Pioneira RS dos últimos 10 anos, onde visualiza-se um resultado acumulado na última década de R$ 76,8 milhões.

Sobras Acumuladas na Sicredi Pioneira RS nos últimos 10 anos (de 2000 a 2010)

Fonte: Sicredi Pioneira RS

Sicredi Pioneira RS iniciará suas Assembléias de Núcleo em Fevereiro/2011

24/01/2011 – A Sicredi Pioneira RS iniciará nos na próxima semana suas Assembléias de Núcleo e espera reunir aproximadamente 7.000 associados de seus 139 núcleos constituídos. No total serão realizadas 26 reuniões.

As Assembléias de Núcleo iniciarão no dia 01/02/2011 e terão seu término em 14/03/2011 quando ocorrerá em Nova Petrópolis a Assembléia de Delegados.

A ordem do dia das Assembléias de Núcleo é a seguinte:

1) Eleição dos Delegados dos Núcleos
2) Prestação de Contas do Exercício encerrado em Dez/2010
3) Destinação das Sobras
4) Eleição dos integrantes do Conselho de Administração
5) Fixação dos Honorários e Benefícios do Presidente, Vice-Presidente e das Cédulas de Presença do Conselho de Administração e Fiscal 

Veja abaixo as datas e locais das Assembléias de Núcleos da Sicredi Pioneira RS:

01/02/2011 - Portão 
01/02/2011 – Caxias do Sul – Unidades de Atendimento de São Ciro, Cruzeiro e Ana Rech
03/02/2011 – Santa Maria do Herval
03/02/2011 - São Leopoldo – Unidade de Atendimento Centro
08/02/2011 – Novo Hamburgo – Unidade de Atendimento Canudos
08/02/2011 – Caxias do Sul – Unidades de Atendimento de PIO X e Vinte de Setembro
10/02/2011 – Alto Feliz
10/02/2011 – Caxias do Sul – Unidades de Atendimento Júlio de Castilhos e Rio Branco
14/02/2011 – Gramado
14/02/2011 – Caxias do Sul – Unidade de Atendimento Vila Cristina
15/02/2011 – Ivoti
15/02/2011 – Morro Reuter
17/02/2011 – Novo Hamburgo – Unidade de Atendimento Feevale
17/02/2011 – Presidente Lucena
21/02/2011 – Novo Hamburgo – Unidade de Atendimento Centro
21/02/2011 – Picada Café
22/02/2011 – Estância Velha
22/02/2011 – Nova Petrópolis – Unidade de Atendimento Pinhal Alto
24/02/2011 – Vale Real
24/02/2011 – Dois Irmãos
28/02/2011 – Nova Petrópolis – Unidade de Atendimento Centro
28/02/2011 – São Leopoldo – Unidade de Atendimento Unisinos
01/03/2011 – Linha Nova
01/03/2011 – Caxias do Sul – Unidades de Atendimento Borges de Medeiros e Lourdes
03/03/2011 – Feliz
03/03/2011 – São José do Hortêncio
14/03/2011 – Assembléia de Delegados em Nova Petrópolis

Procure sua Unidade de Atendimento e confirme sua presença na Assembléia de Núcleo de sua Unidade de Atendimento.

Fonte: Sicredi Pioneira RS

Conheça os candidados ao Conselho de Administração da Sicredi Pioneira RS

Márcio Port e Mário José Konzen com Presidente da ACI Mundial, Dame Pauline Green

23/01/2011 – Nesta 2ª feira 24/01 encerra-se o prazo para inscrições de chapas para concorrer ao Conselho de Administração da Sicredi Pioneira RS. Até o momento apenas uma chapa foi inscrita sendo esta liderada por Márcio Port, ex-colaborador da cooperativa que em 31/12/2010 desligou-se do quadro de colaboradores depois de 18 anos de trabalho na instituição. O desligamento ocorreu por exigência do Estatuto Social que impede que colaboradores concorram a cargos eletivos, devendo para isto desligarem-se no ano anterior.

A chapa apresentada contém os seguintes nomes:

    PRESIDENTE: Márcio Port (Nova Petrópolis)
    VICE-PRESIDENTE: Mário José Konzen (Novo Hamburgo)

    CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO TITULAR

    Alceu Dalle Mole (Caxias do Sul)
    Evandro Carlos Knob (Santa Maria do Herval)
    Gilberto Luis Muller (Estância Velha)
    João Carlos Federhen (Picada Café)
    Jorge Germano Schaefer (Nova Petrópolis)
    Jorge Maldaner (Gramado)
    José Mário Hansen (Nova Petrópolis)
    Sirlei Bertollo (Caxias do Sul)
    Vera Regina Schmitz (São Leopoldo)
    Vitor Affonso Grings (Nova Petrópolis)

    CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUPLENTE

    Alcides Perini (Caxias do Sul)
    Cátia Muller (Vale Real)
    Elton Roberto Weber (Nova Petrópolis)
    Evandro Kunz (Presidente Lucena)
    Heloiza Helena Lopes (Feliz)
    Maicon Motter (Alto Feliz)
    Moacir Bueno da Silva (Caxias do Sul)
    Olavo Augusto Kipper (Novo Hamburgo)
    Patrícia Spohr (Ivoti)
    Werno Blásio Neumann (Nova Petrópolis)

A partir de 01/Fevereiro a Sicredi Pioneira RS inicia a realização de suas Assembléias de Núcleo e no dia 14/Março ocorre a Assembléia final em Nova Petrópolis/RS.

Fonte: Sicredi Pioneira RS

Política de Governança Cooperativa na Sicredi Pioneira RS

Texto para Discussão: Organograma Cooperativa de CreditoEm observância à Lei Complementar 130/2009 e à Resolução CMN 3.859/10 a Sicredi Pioneira RS estará implementando em 2011 sua Política de Governança Cooperativa.

A Governança Cooperativa é o conjunto de mecanismos e controles, internos e externos, que permite aos cooperados definir e assegurar a execução dos objetivos da cooperativa, garantindo sua continuidade e os princípios cooperativistas.” Fonte: BACEN

O órgão máximo de uma cooperativa é a Assembléia Geral, formada por todos os seus associados. É na Assembléia Geral que são eleitos os administradores que conduzirão a cooperativa por um mandato que normalmente é de 4 anos. Estes administradores são o Presidente, o Vice-Presidente e o Conselho de Administração, sendo eles os guardiões do objeto social e do sistema de governança, responsáveis por decidir os rumos do negócio, conforme o melhor interesse dos associados.

O Banco Central do Brasil instituiu também a criação de uma Diretoria Executiva, formada por executivos eleitos pelo Conselho de Administração e responsáveis pela gestão operacional, negocial e financeira da cooperativa. Cabe a Diretoria Executiva a execução das diretrizes fixadas pelo Conselho de Administração. A estrutura da Diretoria Executiva será implementada no ano de 2012, sendo que atualmente este papel é desempenhado pelo Superintendente, Gerentes Regionais de Desenvolvimento e Gerente Regional Administrativo Financeiro.

As principais mudanças a ocorrer em 2011 são:

1) segregação das atividades entre o Presidente e o Superintendente, deixando claras as atribuições e responsabilidade de cada um, cabendo ao Presidente a “gestão cooperativa” e ao Superintendente a “gestão do negócio”;

2) criação de Comitês Não Operacionais, formados por conselheiros de administração titulares e suplentes, com o papel de analisar com profundidade os assuntos que nortearão o futuro da cooperativa. Estes comitês serão divididos em: estratégia, pessoas, riscos, cooperativismo e governança, sendo os responsáveis por registrar as políticas operacionais que nortearão o trabalho da Diretoria Executiva;

3) adoção de um papel mais estratégico por parte do Conselho de Administração, sendo este o responsável pela fixação dos objetivos e metas de longo prazo e por nortear os trabalhos da Superintendência. Caberá aos Conselho de Administração a elaboração e acompanhamento do Planejamento Estratégico da cooperativa;

4) implantação do trabalho com núcleos de associados e também do voto delegado, criando um espaço com maior representação e participação para todos os associados;

5) formação técnica dos conselheiros de administração com base nas práticas de governança corporativa;

O ano de 2011 será um ano de mudanças. Mudanças na forma de conduzir a cooperativa e os negócios, transmitindo aos associados ainda mais transparência, credibilidade e segurança.

Juntos estamos iniciando a construção de uma nova cooperativa, sempre pensando em você associado, o dono do negócio.